Monday, May 7, 2018

O Crime do Século: Capítulo 3


    Nesta história todos tem a sua vez de contar, mas agora eu assumo essa responsabilidade, me chame de Princesa Isabel, vou contar a minha participação nos planos de Tiradentes.

    _ Hoje vamos começar a próxima etapa do plano. _ Disse Tiradentes olhando seriamente para cada um de nós.

    _ Qual a minha participação desta vez? _ Perguntei imaginando ser ao menos, maior do que da outra vez.

    _ Primeiro vou explicar o plano. Vargas já começou a investigar o próximo alvo. _ Disse ele mostrando a foto do capitão da polícia militar do Rio de Janeiro.


    _ Ele faz parte de uma das maiores milícias do país e desvia armas e munições para traficantes do Rio. _ Disse Vargas explicando tudo o que já havia descoberto sobre ele.

    _ A parte de Edward vai ser hackear todas as informações que puder sobre ele, principalmente transações bancárias. Temos que ter acesso a esse dinheiro. _ Disse Tiradentes com a mão no ombro de Edward.


    _ Então com o acesso a esse dinheiro eu esvazio a conta bancária dele. Isso vai ser muito fácil. _ Disse Edward sorrindo.

    _ Não! Isto não faz parte do nosso plano, assim que soubermos quanto exatamente ele possui e tivermos o relatório de todas as suas sujas transações milionárias vamos sequestra-lo e pedir o resgate. _ Disse Tiradentes com seu sorriso sádico, mostrando como todo o plano havia sido minuciosamente calculado em sua mente.

    _ Princesa Isabel e Luther King, vocês irão sequestra-lo, Vargas estará junto com a polícia me fornecendo todas as informações, enquanto Edward irá criptografar toda a nossa comunicação para despistar a polícia.

    Com tudo planejado finalmente chegou o grande dia do sequestro. Eu estava muito apreensiva, provavelmente pelo fato de jamais termos sequestrado alguém.

    _ Mantenha a calma, tudo vai dar certo se você não estragar o plano. _ Disse Martin tentando me acalmar, mas em vão.

    _ Eu só vou me acalmar quando isso terminar, nós ficamos com a pior parte. _ Respondi quase suando frio.


    _ Coloque a máscara, ele está vindo, finalmente chegou a hora! _ Disse ele colocando a máscara e indo discretamente em direção ao capitão.

    Eram quase dez da noite e o capitão saia do bar “ligeiramente” embriagado depois de um longo dia estressante de trabalho. Martin logo o abordou e sacou a arma, devido ao seu estado foi fácil tirar a arma do capitão e leva-lo até o carro onde o apagamos e levamos a um sítio abandonado, visto que não poderíamos leva-lo para nosso local secreto das reuniões.

    Não demorou para que a família do capitão notasse seu desaparecimento e acionasse a polícia, neste momento Vargas enviou uma mensagem para Tiradentes detalhando a movimentação da polícia na investigação do caso.

    No dia seguinte todos os telejornais amanheceram com a notícia que o capitão da polícia militar do Rio de Janeiro havia sido sequestrado.

    _ Os sequestradores gravaram um vídeo pedindo o resgate, estes são os mesmos responsáveis pela prisão de Ronaldo, pela apreensão de 50 milhões de reais em um apartamento que possuía ligações diretas com Ronaldo.  _ Disse a repórter.

    _ Uma atitude inesperada desse grupo depois da doação de 45 milhões de reais para instituições de saúde. _ Comentou outro repórter.

    _ No novo vídeo que se espalhou durante esta madrugada os sequestradores também disseram que apenas queria de volta o que pertencia ao povo, alegando que o capitão teria 60 milhões de reais na conta de um primo, dinheiro este de procedência ilegal. _ Completou a repórter antes de passar para a próxima notícia.

    _ Ótimo, agora passaremos para a próxima etapa do sequestro. _ Disse Tiradentes desligando a TV.

    Com as acusações feitas em vídeo a polícia logo começou a encontrar indícios de que o capitão realmente seria culpado, fazendo com que a família não tivesse escolha a não ser entregar a quantia exigida pelos sequestradores.

    Até esse momento tudo estava indo de acordo com o plano, mas eu cometi um grave erro, pensei que a venda do capitão estava tapando completamente sua visão e acabei tirando a máscara para respirar melhor.

    _ Vereadora Milena, é você? _ Disse o capitão amarrado na cadeira.


    _ Droga!!! Por que você fez isso? _ Disse Martin colocando minha máscara de volta.

    _ Eu não estava conseguindo respirar, precisava de um pouco de ar e tinha que ficar aqui vigiando para que ele não tentasse fugir. _ Eu respondi tentando me justificar, mal sabia eu o que esse erro iria me custar posteriormente.

    _ Eu vou acabar com a sua vida quando eu sair daqui. Vou fazer você pagar pelo que me fez passar. _ Disse o capitão tentando me ameaçar.

    _ Não tenho medo de você, ainda mais agora que passará o resto da vida na prisão. _ Respondi a ameaça cuspindo no rosto dele.

    _ Temos que contar a Tiradentes que o capitão sabe a sua identidade. _ Disse Martin.

    _ NÃO!!! Não podemos estragar o plano dele. Vamos continuar como se nada tivesse acontecido. Ninguém vai acreditar em qualquer coisa que ele diga depois que sair daqui. _ Respondi tentando tomar a decisão aparentemente mais sensata.

    _ Você está morta vereadora!!! _ Dizia o capitão rindo de mim.

    _ Cale-se idiota!!! _ Respondi dando um tapa muito forte no rosto dele. _ Eu farei esta parte do plano do meu jeito.

    Horas mais tarde, por volta das quatro da tarde eu e Martin levamos o capitão até o lugar combinado para a troca. Tudo estava de acordo com o plano, mas havia um objeto extra com o capitão.

    Vargas estava lá comandando a operação da polícia para o resgate do capitão, além da polícia também havia vários repórteres transmitindo ao vivo o que estava acontecendo.

    _ Isso. Agora calmamente caminhe com o capitão até o centro da praça. _ Dizia calmamente Tiradentes na escuta que usávamos para nos comunicarmos.

    _ Você está assistindo o show pela TV? _ Perguntei com um sorriso.

    _ Estou. Não faça nada que não combinamos apenas entregue ele e pegue o dinheiro. _ Disse Tiradentes.

    _ Me entregue a maleta com o dinheiro. _ Eu disse a esposa do capitão, que estava sendo escoltada por Vargas com uma maleta nas mãos.

    _ Pegue o dinheiro, está tudo ai, o dinheiro foi contado diversas vezes como foi pedido no vídeo. _ Disse Vargas me entregando a mala.

    Com a mala em minhas mãos corri para o carro onde Martin me aguardava para a fuga, o capitão ao ver Martin dirigindo o carro logo se lembrou de meu motorista e percebeu que ele também fazia parte do plano.

    Antes de fugir eu deixei um presente com o capitão. Para me certificar que a polícia não viria atrás de nós amarrei sete quilos de C4 no peito do capitão, que logo começou a gritar em desespero.

    Alguns quarteirões longe da praça eu pego o detonador dentro da minha bolsa e ameaço explodir a bomba, mas Martin me impede.

    _ Você ficou louca? Não podemos explodir ele. Isto não fazia parte dos planos. _ Disse Martin furioso comigo.

    _ Ele sabe quem eu sou, preciso apagar as evidências. _ Respondi antes que ele tirasse o detonador de minhas mãos.

    _ O que pensa que está fazendo Princesa Isabel? Você está por um fio de estragar todo o nosso plano. _ Disse Tiradentes pela escuta, quase tendo um ataque do coração.

    Por fim eles me convenceram a não explodir o capitão, a polícia desarmou a bomba e começou os interrogatórios em busca de explicações. Mais uma vez cometi um erro fatal, deixar um monstro como ele viver.

    Dias depois eu estava em um evento com mulheres negras, lutando contra o racismo e o preconceito contra as mulheres, no bairro da Lapa. Durante o evento pude ouvir como outras mulheres negras como eu sofriam preconceito todos os dias.

    Após o evento me dirigi até o carro, onde Martin me esperava para irmos embora, talvez eu devesse ter visto que o carro de trás estava nos seguindo, talvez eu devesse ter visto o carro preto em nossa frente antes que ele nos fechasse e nos obrigasse a parar.

    Enquanto o carro preto impedia nossa passagem, o carro que estava atrás nos alcançou e pude ver, como se em câmera lenta, o momento que algumas submetralhadoras apontaram em direção a minha cabeça.

    As últimas coisas que me lembro de ter ouvido foram os disparos e um último feixe de luz que saia da arma, disparando as balas que me levariam a morte. E foi assim que morri.

    Logo a polícia chegou à cena do crime e constatou que a vereadora havia sido morta com quatro tiros na cabeça, enquanto o motorista foi morto com três tiros nas costas.

    O carro da vereadora foi o mesmo usado no sequestro, logo a polícia com os depoimentos do capitão e com a ajuda das câmeras de segurança que gravaram três homens com as mesmas máscaras usadas pelo grupo de Tiradentes, chegou a conclusão que Tiradentes havia eliminado dois de seus capangas por terem tido a identidade revelada.

    Vargas foi ao encontro de Tiradentes para contar a triste notícia.

    _ A vereadora e o motorista infelizmente foram assassinados há pouco tempo. _ Disse Vargas abraçando Tiradentes enquanto suas lágrimas caíam.

    _ Não acredito que o capitão mandou matarem a vereadora. Tenha a certeza que eu o farei pagar por isso!!! _ Dizia Tiradentes enquanto chorava, no fundo acabamos nos tornando grandes amigos, todos nós, unidos pelo plano do maior roubo da história.

    _ Para piorar não podemos mais usar o dinheiro que roubamos para continuar com o plano. Todos pensam que nós os matamos e que somos os verdadeiros vilões da história.

    _ Eu irei reverter isso, provando a todos a verdade. Quanto ao capitão farei minha própria justiça. Agora ele também faz parte do plano e sei exatamente o que fazer com ele. _ Respondeu Tiradentes furioso, sem conseguir acreditar na perda de seus amigos.

No comments:

Post a Comment

Mente de um estuprador

            Alguém já parou para pensar o que se passa na mente de um estuprador? O que o motiva a cometer esses crimes horríveis? Infeliz...