Monday, February 12, 2018

Amor ou Carnaval?

Amanda morava com Marcos, eles brigavam como todo casal comum, mas sempre faziam as pazes. Isso até que um carnaval mudasse tudo o que eles sentiam um pelo outro.

Naquele ano Marcos decidiu que iria para o carnaval com ou sem Amanda, que por sua vez era mais caseira e não gostava da fama que esse tipo de comemoração tem.

_ Para que você quer ir lá? Lá só tem putaria e você sabe disso. Eu sei o que você quer fazer com seus amigos naquela merda e eu te proíbo de ir. _ Disse Amanda furiosa com a insistência de Marcos.

_ Já disse que eu vou mesmo sem você, isso não é um pedido e sim um aviso. _ Respondeu Marcos convencido de que a opinião de Amanda não importava para ele.

_ Isso é jeito de falar comigo? Eu também decido as coisas aqui dentro dessa casa. _ Disse Amanda apontando o dedo no rosto de Marcos.

_ Mulher nenhuma manda em mim, quer saber de uma coisa, fica quieta e vai ver se tem louça para lavar vai. _ Respondeu Marcos saindo da presença de Amanda.

Naquela noite ela percebe que Marcos não estava em casa com ela e que provavelmente estava na folia fazendo alguma palhaçada com os amigos.

Na manhã seguinte ela acorda ao lado dele fedendo a álcool e com as roupas todas sujas e rasgadas, ela então decide tentar acordá-lo, mas em vão.

Durante o café da manhã ela abre seu perfil no celular e encontra diversas fotos de Marcos bebendo e beijando outras mulheres, inclusive uma das fotos tiradas pelos amigos dele mostravam ele completamente fora de si fodendo com uma loira qualquer em um ponto de ônibus repleto de bêbados se agarrando.

Amanda naquele mesmo dia terminou seu namoro com Marcos e nunca mais o viu novamente, ela jurou que nunca iria em meio esse bando de bêbados comemorar uma coisa tão ridícula ao seu ponto de vista. Porém sua amiga depois de muita insistência conseguiu convencê-la de ir, sua amiga mal sabia o real motivo dela ter aceitado ir.

Sua amiga havia acabado de terminar o namoro por falta de fidelidade por parte de seu companheiro, ela estava arrasada e queria sair para beber e esquecer dele, mas Amanda tinha planos maiores para aquele carnaval.

Chegando lá a maior parte das pessoas já estava levemente embriagada, o que deixou o plano de Amanda mais fácil de ser executado. Amanda era morena com olhos escuros e um corpo escultural de dar inveja a qualquer outra mulher.

Logo ela e sua amiga começaram a beber e agarrar os caras que elas mostravam interesse, até que um em particular chamou a atenção de Amanda.

_ Nossa como eu precisava disso, não aguento mais minha mulher em casa me enchendo o saco para não vir para o carnaval. _ Disse o rapaz meio bêbado, mas ainda consciente de suas ações.

_ Você não acha errado sua esposa estar em casa te esperando preocupada e você aqui agarrando qualquer uma? _ Perguntou Amanda colocando suas mãos sobre os ombros do rapaz.

_ Quem disse que ela precisa saber que eu estou com outras mulheres aqui, ela jamais descobrirá. _ Respondeu ele sem se importar com sua esposa.

Aquilo fez com que Amanda lembrasse do que Marcos fez com ela e decidiu que aquele seria o rapaz certo para o seu plano diabólico. Depois de dar uns amassos ela oferece a ele um lugar mais reservado para os dois poderem fazer algo mais.

Com aquela beleza irresistível ele acabou cedendo e disse para que eles fossem para um motel próximo de lá. Chegando no motel não demorou para que Amanda começasse a tirar a roupa e a se esfregar no rapaz.

Durante o sexo ela algema o rapaz a cama para excitá-lo ainda mais, ela gemia e gritava enquanto rebolava em cima dele, fazendo com que os olhos do rapaz se revirassem de prazer, depois de um longo tempo fodendo com ele, finalmente chegam ao clímax da relação e ela sai de cima de seu colo.

_ Essa transa foi ótima, você é uma vadia muito gostosa, mas agora já pode soltar essas algemas. _ Disse ele recuperando o fôlego.

_ Quem disse que irei te soltar, nós ainda não acabamos. _ Disse Amanda sorrindo para o rapaz.

_ Gostei, além de vadia você é tarada. Você deve ser daquelas que gosta de apanhar enquanto fode. _ Disse ele excitado com o que ouvira dela.

_ Não faremos o que você quer, agora é minha vez de escolher de que vamos brincar e eu escolhi gato e rato. _ Disse ela tirando algumas coisas de sua bolsa.

_ Como assim gato e rato? O que você quer fazer comigo? _ Perguntou ele começando a se sentir assustado e tentando se soltar por conta própria.

_ Eu sou a gata que irá devorar esse pobre ratinho que está preso em minha ratoeira que eu mesma preparei para você. _ Disse Amanda gargalhando e tirando um gravador de dentro da bolsa.

_ Eu gravei tudo o que fizemos aqui e logo sua esposa vai descobrir. _ Disse ela pausando o gravador, pegando uma câmera para gravar agora em vídeo e se aproximando da cama lentamente.

_ Você nem sabe quem ela é, como você poderia fazer isso? _ Perguntou ele rindo do possível blefe de Amanda.

_ Isso você irá descobrir na hora certa, mas agora vamos começar minha brincadeirinha. _ Disse Amanda olhando dentro dos olhos do rapaz, que neste momento entrou em desespero e tentou gritar por socorro.

No mesmo momento que ele abriu sua boca para gritar ela puxou sua língua e a cortou com um canivete que havia em sua bolsa, após isto o amordaçou com a fronha que tirou do travesseiro para que ele não tentasse mais gritar.

_ Esse será seu fim, não adianta tentar gritar ou fugir. _ Disse Amanda sorrindo e lambendo o canivete ensanguentado, se deliciando com o sangue de sua vítima.

O próximo passo de sua tortura foi fatiar lentamente o pênis do rapaz, que se debatia na cama em completo desespero e agonizando com tanta dor, mas Amanda durante toda a tortura se preocupou em não mostrar seu rosto na gravação. No entanto escolheu minuciosamente o melhor ângulo que mostrasse o rapaz agonizando. No final da tortura ela diz as últimas palavras que ele pode ouvir antes de morrer.

_ Seu coração não pertence a sua esposa, ele pertence as vadias que você traz em motéis imundos como esse para foder enquanto sua mulher prepara o jantar para te receber em casa. _ Disse Amanda.

Amanda arrancou calmamente o coração do rapaz e comeu diante de seus olhos, ela observava com uma sensação de prazer enquanto a vida dele saia lentamente por seus olhos, que começaram a fechar-se sem vida.

Ela após terminar suas atrocidades contra o rapaz, simplesmente deixou seu corpo estiraçado em cima da cama, pagou o motel e foi embora, deixando na cena do crime o gravador e a câmera com o vídeo do assassinato.

A polícia logo foi acionada e com esses pertences a esposa do rapaz é chamada na delegacia.

_ Senhora, seu marido foi assassinado ontem à noite em um motel, disseram que ele estava acompanhado de uma moça e essas aqui são provas de que os dois tiveram relações sexuais antes do crime. _ Disse o policial tentando acalmar a moça.

Na fita da gravação ela pode ver como seu marido infiel se divertia durante as noites que chegava tarde em casa, na gravação ela ouvia os gemidos daquela vadia transando com seu marido e ela sabia que aquilo foi proposital, para que a moça soubesse quem seu marido realmente era.

Porém durante o vídeo do assassinato a moça chegou a vomitar vendo aquele horror contra ele, talvez aquilo tenha sido demais para seu estômago suportar.

No fim da filmagem mostrava uma mulher no canto da tela escrevendo algo e escondendo embaixo do colchão, que logo foi encontrado pela polícia e naquela carta dizia:

"Ele foi apenas o primeiro, não descansarei até que todos esses porcos estejam em suas covas para que suas esposas parem de sofrer por infidelidade, e a todos aqueles que pensam em trair suas mulheres no carnaval, CUIDADO, talvez você acabe caindo em minha armadilha e sofrendo as consequências de sua traição."

No comments:

Post a Comment

Não posso deixá-la morrer

     Não posso deixá-la morrer,  esse não pode ser o destino da minha filha, ela é apenas uma criança. Eu prometi a ela que não deixaria  ...